Teologia de Palha

Teologia de Palha

Por Luiz Leite

Num vôo doméstico há alguns dias,  li numa dessas revistas insossas de uma linha aérea qualquer, uma entrevista com a senhora Lily Marinho, esposa do falecido “mogul” Roberto Marinho, fundador das organizações Globo.

Pergunta:  ” –  A senhora é religiosa?”

Resposta:  ” – Sou católica mas às vezes fico zangada com Deus. Uma vez perguntei a um padre: Se Deus é tão bondoso porque deixa acontecer incêndios, essas coisas…? Ele disse que Cristo morreu com 33 anos e não teve tempo de pagar em vida o mal da humanidade, então as pessoas tem que pagar o que Cristo não teve tempo de fazer…”

Eita teologiazinha vagabunda! Isso lá é resposta que um sacerdote da suposta fé apostólica dá a um fiel em conflito?” Onde o tal sacerdote aprendeu sua teologia? Estava bêbado ou dormia nas aulas em seus dias de seminário? Que soteriologia enviesada é essa que ele inventou? Foi insuficiente o sacrifício de Jesus? Resta realmente algo que o homem possa fazer para aprimorar sua salvação?

Lutero certamente errou feio ao julgar a teologia de Tiago e despachar sua epístola como uma epístola de palha (a ser queimada); em sua obsessão com a teologia da graça, falhou em identificar coerência e consonância entre seu pensamento e aquele apresentado por Tiago. O irmão do Senhor alfineta em sua carta os religiosos de plantão, alertando que “a fé sem obras é morta.” Não basta apresentar uma fé de discurso, recheada de rezas e ritos.

E aí? se a fé sem obras é mortas, estaria Tiago afirmando que a graça não é suficiente? está contradizendo o ensino Paulino que afirma que a salvação é pela graça, mediante a fé…? Temos que fazer obras para alcançarmos a salvação? Não, Tiago não está afirmando isto. O que o saudoso “joelho de camelo” está dizendo é basicamente a mesma coisa dita por Paulo. Fomos criados para as boas obras… A fé viva é dinâmica, e por essa razão, produz obras espontaneamente. As obras não levam à salvação, mas a salvação leva às obras! A fé que não gera obras está assim, virtualmente, morta!

O padre católico, de quem a socialite ouviu que as “pessoas tem que pagar o que Cristo não teve tempo de fazer”, estava sem dúvida sob o efeito de algum “spirit” (em ingles, qualquer bebida destilada, como vodca, run, tequila…) ou mesmo de outro espírito qualquer que não o Santo, enviado para nos guiar em toda verdade. Quando neste estado, perde-se como faz-se perder, quer leigo, quer sacerdote!

Sola Scriptura

Sola Scriptura!

Por Luiz C Leite

Todas as vezes que os homens relativizaram a Escritura Sagrada, e deixaram-se impressionar por manifestações “espirituais”, calcando sua fé sobre experiências místicas, sem o embasamento bíblico, acabaram errando e errando feio…

Errais – disse Jesus – não conhecendo as Escrituras e nem o poder de Deus! A ordem aí não é despropositada. As Escrituras devem estar em primeiro lugar. São elas que devem ditar as regras e nada mais… Sola Scriptura! Amo a frase de Lutero que diz:

A igreja não deve determinar o que as Escrituras ensinam, pelo contrário, as Escrituras é que devem determinar o que a Igreja ensina!”

Os fariseus erraram ao se desviarem da “Scriptura”, a igreja Romana errou, e a Protestante vai fazendo o mesmo! Sempre que fazemos “adendos” à Escritura, distorcemos a verdade bíblica e inventamos pretextos que justifiquem nossas conveniências… É gritante em nossos dias a necessidade de uma nova reforma. Que Deus nos envie outro cataclisma como Lutero!

Fiz uma aliança com Deus: que Ele não me mande visões, nem sonhos, nem mesmo anjos. Estou satisfeito com o dom das Escrituras Sagradas, que me dão instrução abundante e tudo o que preciso conhecer tanto para esta vida quanto para o que há de vir.” (Martinho Lutero)