Psicanalisando II

“O buraco é mais em baixo”.

Por Luiz C Leite

Este ditado do século passado era muito utilizado no dia a dia quando as pessoas queriam dizer que as coisas não eram exatamente da forma como se apresentavam, quando a questão não era tão simples quanto queria o simplista.

A Psicanálise também parece estar sempre dizendo, “o buraco é mais em baixo”. Tendo o inconsciente como pressuposto básico, a psicanálise insiste em sustentar que a trama psíquica é muito mais complexa do que a psicologia behaviorista supõe. A coisa na verdade está abaixo da linha da água; as razões que explicam o “incompreensível” residem nas profundezas do ser, nos substratos escorregadios e longínquos que se ocultam sob a bruma do tempo.

Como tão bem ilustra a metáfora do iceberg, aquilo que conhecemos de nós mesmos é apenas uma porção mínima (o consciente – a ponta do iceberg) que aparece, que se deixa ver…É óbvio que muito daquilo que se deixa ver é apenas aparência, longe estando de ter correspondência completa com a essência. A essência (o corpo do iceberg) está oculta, submersa nas águas sombrias e desconhecidas do inconsciente.

Alguns textos bíblicos nos surpreendem ao falar das profundezas “insondáveis do coração” do homem. Parece-me, diante de textos tão antigos, que Freud, com todo respeito à sua geniosiodade, estava “reinventando a roda” ao formular sua teoria do inconsciente. Diz o texto das Escrituras Sagradas, “Enganoso é o coração, e desesperadamente corrupto, quem o conhecerá?”

Essa passagem, encontrada no livro do profeta Jeremias, que data de cerca de 650 anos antes de Cristo é evidência de que já há muito se sabia que o “coração do homem” está, em sua grande parte, oculto, longe das vistas dos homens. Outro profeta do Antigo Testamento, também sabedor dessa realidade que se estende para além das vistas disse, “O homem vê o exterior, o Senhor porém sonda o coração”, fazendo clara alusão ao fato de que aquilo que se percebe opbjetivamente no campo consciente pouco conta.

Como se vê, a boa e velha bíblia continua tão atual como surpreendente. O “buraco”, é mesmo “mais em baixo!”

 

6 comentários sobre “Psicanalisando II

  1. Voce está sugerindo que a bíblia já propunha aquilo que a psicanalise nos revelou?? abraços.

  2. Muitos séculos antes!!! Pode crer!

  3. Pingback: Deixe que falem… « um dedo de prosa

  4. Gostei. kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  5. Não concordo.

    Acho que a conexão da biblia com o inconsciente é outra.

    Assim como os sonhos, segundo freud, são o caminho para o inconciente, e em ultima instancia, as realizazões de desejos, vejo a biblia como a realização de um desejo “coletivo”.

    O desejo de proteção (de um pai), o desejo de vida eterna, e até mesmo… o desejo da vigança contra um deus e os sofrimentos de uma vida triste no final …

    Assim com o texto sobre nietzsche, concordei com vc, até você se aproximar da parte “biblica” heheh

    abraços

  6. Eu sei que voce (e demais freudianos) concorda comigo na teoria psicanalitica apenas… mas a vida “darling” vai muito além… a propósito todo o avanço de Freud está muiiiiitto “aquém” da alma… mas é obvio que me refiro a outras leituras. Abraços.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s