Os Santos da Minha Época

 

Os santos da minha época

Por Luiz Leite

Admiro Beda, o venerável, inglês de boa memória que fez história entre 672 e 735  a.D. São Beda distinguiu-se não só pela espiritualidade mas também pela erudição em um tempo de poucas letras quando a Europa encontrava-se invadida por hordes bárbaras após a queda de Roma (476 a.D.). Como uma tocha acesa na escuridão espiritual e intelectual da idade chamada das trevas surge Beda. Só para começar o próprio nome, “beda”, do saxônico, significa “oração”. Uma frase dele foi suficiente para me cativar. “Vivi  bastante, – disse ao aproximar-se da morte – e Deus tem disposto bem da minha vida.” 

A frase chama a atenção num tempo em que a fé precisa de reflexão. Os santos da minha época não vão à igreja para servir a Deus, mas antes para servir-se Dele. Movidos por ambição de sucesso e projeção e munidos da convicção de que Deus deve satisfazer-lhes os desejos, não hesitam em apresentar ao Altíssimo suas demandas e “direitos”. Quando a sorte lhes acena, correm deslumbrados para as luzes, travestidos de risível deslumbramento e afetada importância.

Beda, quando convidado pelo papa Gregório II para mudar-se para Roma, não se permitiu seduzir pelo sorriso traiçoeiro da fama e suplicou ao sumo pontífice que lhe permitisse permanecer na simplicidade de seu mosteiro em Jarrow. Essa atitude de santos de verdade é ilustrada, entre outros, na vida de Ildefonso (606-667 a.D.), que tendo sido escolhido pelo clero e demais fiéis para assumir o bispado de Toledo, Espanha, escondeu-se tendo que ser conduzido sob escolta para a consagração episcopal.

Enquanto alguns maquinam e até conspiram para aparecer e capitalizar seus minutos de fama ao lado de pessoas de prestígio, outros se esforçam na direção contrária. Ildefonso como Beda, não cairam no flerte com a vaidade pelos cargos e posições de enganosa famosidade. Não precisavam disso. Teriam aprendido essa desastrosa tecnica de marketing pessoal com Jesus que geralmente insistia com as pessoas que não espalhassem o milagre nelas operado por intermédio dele?

Os santos da minha época são diferentes… Amam as oportunidades de aparecer, de projetar seus egos inflados e mostrar quão importantes são… É óbvio que há excessões, mas essas tais são raras. Os santos da minha época amam os primeiros lugares na sinagoga, disputam posição e atenção, e não hesitam em puxar o tapete de quem ameaça seu projetinho de poder. É claro que há excessões, mas repito, são raríssimas… Os santos que fazem sucesso na minha época são estrelas e empresários bem sucedidos. Falam bonito, e ainda que rasos em erudição, são capazes de eletrizar audiências inteiras com discursos inflamados, mas sem quebrantamento, pois os santos da minha época não sabem o que é isso… É uma geração de olhos secos. Sinto-me estranho e deslocado nesse tempo; Acho que nasci na época errada! 

 

 

Teologia Conflitante

Os Cinco Pontos Do Calvinismo

Por Luiz Leite

Os chamados Cinco Pontos do Calvinismo, contrariamente ao que sugere a fórmula, nada tem a ver, em termos, com João Calvino (1509-1564). O documento foi publicado cerca de 50 anos após a morte de Calvino. Não foi elaborado, tampouco, como julgam alguns, com o intuito de sintetizar a fé reformada, mas para providenciar resposta aos discípulos de Jacob Hermann (Arminius) que haviam lançado um documento denominado os Cinco Pontos do Arminianismo e intentavam com isso influenciar a orientação da igreja reformada na Holanda que esposava fortemente a doutrina da predestinação.

Armínio (1560-1600) contestava a predestinação e a vontade soberana de Deus da forma como se ensinava nos púlpitos e seminários de seus dias; cria no livre arbítrio e na responsabilidade humana de escolher entre obedecer ou não ao chamado de Deus e responder positivamente ao apelo de sua própria consciência. Suas idéias chocavam-se frontalmente com os postulados calvinistas, o que custaria mais tarde aos seus discípulos perseguição e exílio. Hoje, não mais classificada como herege, a teologia arminiana encontrou o seu lugar de expressão em muitíssimas igrejas, mas o debate permanece longe de um possível acordo. Segue os Cinco Pontos Arminianos e Calvinistas:

 Ponto 1. Vontade Livre – O arminianismo afirma que o homem é “livre” para escolher. Esse “livre arbítrio” o coloca como responsável pela sua salvação, ou seja, aquele que está na condição de responder ou a Palavra de Deus, ou a palavra de Satanás. A salvação, portanto, é operação conjunta. Não é um ato unilateral da parte de Deus. O homem tem o papel da escolha.

Ponto 1. Depravação Total – O calvinismo por sua vez sustenta que o homem não regenerado encontra-se completamente incapaz de tomar qualquer decisão uma vez que é escravo de Satanás, e, por isso, é totalmente inapto para exercer sua vontade livremente; O estado de depravação total deixa, portanto, inteiramente dependente da obra de Deus, que deve vivificá-lo de modo que ele possa por fim crer na obra de Jesus na cruz.

Ponto 2. Eleição Condicional – O arminianismo diz que a “eleição é condicional, ou seja, acredita-se que Deus elegeu àqueles a quem “pré-conheceu”, sabendo que aceitariam a salvação, de modo que o pré-conhecimento [de Deus] estava baseado na condição estabelecida pelo homem.

Ponto 2. Eleição Incondicional – O calvinismo sustenta que  a eleição  é um ato que resulta da vontade e soberana e isolada de Deus, segundo seus próprios planos; dessa maneira o homem, espiritualmente morto, nada tem a fazer senão submeter-se àquilo que Deus em seu pré-conhecimento já determinou.

Ponto 3. Expiação Universal – O arminianismo afirma que Cristo morreu para salvar a tantos quantos exercerem sua livre vontade e responderem positivamente ao apelo à salvação feito por Deus através de Seu Filho em sua morte expiatória na cruz. Irão para o inferno apenas aqueles que não querem aceitar a oferta de Deus.

Ponto 3. Expiação Limitada – O calvinismo por sua vez sustenta que Jesus se deu em sacrifício para salvar pessoas determinadas, já eleitas pelo Pai desde a eternidade. Sua morte, portanto, culminou com o êxito completo de sua missão: Todos aqueles pelos quais ele se sacrificou, em seu  número exato, serão salvos. Os outros por sua vez por quem ele não  morreu receberão a “justiça” de Deus, sendo lançados no inferno.

Ponto 4. A Graça pode ser Impedida – O arminianismo afirma que, ainda que seja a vontade de Deus que todos os homens sejam salvos, o homem pode resistir ao Espírito Santo,  e por consequencia rejeitar a graça divina. Deus, por sua vez “permite” que o homem obstrua Sua vontade. A graça divina se propõe, não se impõe.

Ponto 4. Graça Irresistível – O calvinismo ensina que a graça de Deus é irresistível, ou seja, uma vez que o espírito humano é regenerado este homem será inevitavelmente conduzido a Deus; aqueles que foram predestinados para a salvação serão alcançados de qualquer modo uma vez que assim que forem alcançados pela graça não poderão fazer qualquer coisa senão se render.

Ponto 5. O Homem pode Cair da Graça – O arminianismo argumenta que o homem, da mesma forma que é salvo por um ato de sua própria escolha e vontade, aceitando a Cristo, pode também perder-se depois de ter sido salvo, se resolver recuar, apostatando-se. Na verdade o próprio conceito da apostasia contempla a idéia de que o que se fez apóstata, participou em algum momento prévio a comunhão dos santos! A possibilidade de perder-se, é denominada de “queda (ou perda) da graça”, pelos seguidores de Arminius.

Ponto 5. Perseverança dos Santos – O calvinismo alterca afirmando que a salvação, uma vez que é operada inteiramente por Deus, e uma vez que o homem não precisa fazer nada “para ser salvo” , também não precisa se esforçar para  “permanecer salvo”, porque isto também é Deus. Os eleitos hão de perseverar porque Deus fez a promessa de terminar  a obra que ele mesmo iniciou na vida do crente.

A teologia cristã, como as demais teologias, quer sejam judaicas, muçulmanas, hinduístas ou budistas, conflitam em muitos aspectos. Esses conflitos são inevitáveis. Cristianismo, Judaismo, Islamismo, para citar apenas os três grandes blocos da fé monoteista, partidos em inúmeras denominações, debatem-se em meio a muitas diferenças de interpretação dos seus livros sagrados. Se tão somente respeitarmos aqueles que pensam diferente, sem condená-los às chamas por heresia, já teremos feitos grande progresso. O problema, entretanto, é insolúvel. Sempre haverá aquele que não lê na cartilha da “nossa” ortodoxia. Parodiando frase famosa de Jesus: Os hereges sempre os tereis convosco!

Escatologia Errante

Escatologia Errante

Por Luiz Leite

Geralmente relacionamos ano novo com sonhos, planos, projetos… Planeja-se viagens, filhos, aquisição de bens, e com isto contempla-se a continuidade da vida e a expectativa de dias melhores. Como alguns efusivamente afirmam, o melhor de Deus ainda está por vir!

Como desejar um Feliz Ano Novo se ele não vai durar nem 6 meses? É isto, o ano de 2011 vai durar apenas 4 meses e 21 dias, nada mais, nada menos. Segundo tem divulgado um grupo religioso dos EUA, o arrebatamento da igreja acontecerá exatamente no dia 21 de maio… O fim do mundo propriamente dito acontecerá 6 meses depois, no dia 21 de outubro!

Cumpre antes de mais nada admitir que escatologia é terreno complexo e de conclusão fugidia. Entretanto, ainda que se admita as dificuldades às vezes até mesmo obscuras da disciplina, uma exegese mais amadurecida e acurada não permite os disparates como aqueles que os mestres da escatologia errante vez por outra alardeiam por aí, afirmando que o fim está às portas com dia e hora marcados.

Em 2009 foram distribuidos em São Paulo panfletos que anunciavam o fim dos tempos com data precisa, exatamente como já aconteceu em outros  momentos da história quando seitas cristãs ousaram publicar o resultado de suas especulações escatológicas marcando data para o retorno de Jesus e eventual fim do mundo.  O panfleto citado acima declara:

“No ano de 2011 d.C. serão exatamente 7000 depois do dilúvio de Noé. Será o fim do período de tempo dado ao homem para encontrar a graça de Deus. Isto significa que o tempo para encontrar refúgio em Cristo tem se tornado muito curto. Não nos resta muito tempo até o ano de 2011… sabemos que o ano de 2011 é o ano em que se completará 7000 anos depois do dilúvio. E tambem sabemos que Deus vai destruir o mundo nesse ano. Mas quando vai ocorrer em 2011; Dizemos anteriormente que a era da igreja chegou ao fim em 1988 d.C…”

Ainda que os nossos tempos sejam tempos de grande apostasia e os sinais nos deixem em estado de alerta, temos visto através da história vários grupos religiosos “agendando” o fim do mundo para essa ou aquela data, causando transtorno e decepção a muitos.

Grupos como os Adventistas, Testemunhas de Jeová, para citar os mais conhecidos, nasceram de interpretações escatológicas errôneas que anunciavam o fim dos tempos; como o Jesus não voltou nas datas por eles estabelecidas e o mundo não acabou, tiveram que se utilizar de um verdadeiro contorcionismo de explicações mirabolantes para sustentar o fiasco.

Infelizmente nem sempre é longo o caminho do embuste à tragédia.  Um desses grupos, os chamados Davidianos, protagonizou uma cena que ainda hoje nos deixa perplexos. Dissidentes da igreja Adventista do Sétimo Dia, os Davidianos apresentaram-se à grande mídia em 1993, num confronto mal explicado com o FBI no seu complexo em Waco, no Texas, EUA, que resultou na morte de quase 80 pessoas. O evento marcou o final trágico de mais um grupo de fanáticos que  criaram a partir de suas próprias interpretações equivocadas um apocalipse particular.

Jesus vai voltar sim. Devemos estar preparados para o seu retorno, mas não precisamos nos deixar impressionar ou amedrontar pelas predições desses que insistem em contrariar as palavras do próprio Senhor Jesus que, quando questionado acerca de sua volta e consequente restauração de Israel, disse: “NÃO VOS COMPETE CONHECER TEMPOS OU ÉPOCAS QUE O PAI RESERVOU PELA SUA EXCLUSIVA AUTORIDADE.” (atos 1.7)

Os números de 2010

Recebi o email abaixo da WordPress e repasso aos meus leitores.

Os analistas das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O ponteiro do Blog-Health-o-Meter™ (medidor de saúde do blog) no verde indica: Uau!

Feliz Ano Novo do WordPress.com! Para começar o ano beleza, gostaríamos de partilhar alguns dados sobre o desempenho do seu blog. Aqui está um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Números apetitosos

Imagem de destaque

Um navio de carga médio pode transportar cerca de 4.500 contentores. Este blog foi visitado 16,000 vezes em 2010. Se cada visita fosse um contentor, o seu blog enchia cerca de 4 navios. Foram atingidos indicadores respeitáveis! Parabéns!

Em 2010, foram publicados 47 novos artigos, aumentando o acervo deste blog para 123 posts. Fez upload de 87 imagens, ocupando um total de 5mb. Isso equivale a cerca de 2 imagens por semana.

O dia do ano em que houve maior atividade foi 15 de maio com 189 visitas. O artigo mais popular neste dia foi  O Czar, a Rússia e a Bíblia.

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram mail.live.com, mail.yahoo.com, blogger.com, acridoce-oil.blogspot.com e google.com.br

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por russia, adolf hitler, ser humano, um dedo de prosa luiz leite e maomé

Atrações em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

O Czar, a Rússia e a Bíblia junho, 2009
16 comentários

2

Maomé e as Mulheres fevereiro, 2009
22 comentários

3

Richard Dawkins e a Última Fronteira outubro, 2009
8 comentários

4

Quem tem medo do pós-moderno? novembro, 2008
15 comentários

5

Fome de Deus? junho, 2009
12 comentários