Emoções Empanadas

Emoções Empanadas

Por Luiz Leite

Tive dois encontros fortuitos com a emoção na semana que passou; em ambos as lágrimas brotaram insistentes, irreprimíveis quase, se a reação automática da tropa de choque que patrulha essas manifestações não fosse eficaz no uso da truculência e repressão. Afinal, não podemos simplesmente derramar lágrimas, sejam de emoção ou dor, em qualquer lugar… Existem códigos de conduta que regulam as lágrimas. Ainda que essa censura absurda seja mais complacente com as mulheres, todos estão sob sua vigilância sisuda.

Numa dessas ocasiões estava em uma livraria folheando um livro de Eduardo Giannetti quando o som de música me chamou a atenção. Levantei os olhos das páginas do livro que naquela mesma noite leria quase que compulsivamente e observei um desses monitores enormes de TV que estamos já acostumados a ver em bares e restaurantes… Pensei comigo: a mania americana se impôs mais uma vez! Como nunca havia visto TVs em livrarias exclamei escandalizado: “Onde já se viu isto?”

A música, apesar do protesto, entretanto, atraiu-me, como sempre fez, bastando para tanto apresentar alguma qualidade estética. Começei a ver o clip e de repente lá estava eu, com o livro na mão e os olhos no video; Fiquei ali por alguns momentos completamente absorto pela melodia. A moça que cantava, linda, dividia o palco com um moço de voz grave e bonita. “Eu não vou parar de te olhar…” dizia a letra. Percebi minhas emoções flutuando ligeiramente ao sabor dos acordes da canção…  Aos poucos meus olhos foram sendo invadidos por aquela versão líquida e morna da emoção.

Com os olhos molhados, como se estivesse fazendo alguma coisa errada, ocorreu-me olhar para os lados para ver se alguém estava observando aquele ato de transgressão… Para meu constrangimento, um vendedor olhava para mim naquele exato momento. Dissimulei, olhei para o lado, procurando ocultar o produto do flagrante e voltei os olhos para o livro do Giannetti. Mais uma vez tive minhas emoções empanadas, afinal, homem que é homem não chora, conforme reza o catecismo burro do machismo.

14 comentários sobre “Emoções Empanadas

  1. Que coisa linda Luiz! E o carinha ali não prando de te olhar… né?

    Só por curiosidade: Esse carinha ali meio chorante é você? Ou é um chorante outro?

    Na graça dEle

    ZanziscadEle.

  2. Em tempo: A palavra não é prando. É parando. Desculpa-me.

  3. sou eu nao rosa… rsss… brigado…

  4. Então quer dizer que você anda violando o código de conduta!Isso de que homens não podem chorar realmente não faz sentido,é tão lindo quando as nossas emoções brontam e nem quer saber se existem regras ou protocolos,quebramos mesmo.Sabe de uma coisa!chore mesmo! ainda mais quando somos tocado por algo tão belo, afinal isso não acontece todos os dias.
    Precisamos ouvir, ler e vivermos,essas situações que nos pega de surpresa,estamos tão sucumbidos em tantas questões que quando acontecem algo assim é maravilhoso.

    beijos.

  5. pode deixar vanusa… vou fazer como voce diz… saudações.

  6. Realmente pr Luiz,o machismo roubou a espontaneidade dos homens,fazendo deles quase que insensíveis,roubando deles assim sua qualidade de vida.Eles terão que fazer o caminho inverso.
    Saudações.

  7. talvez n seja o “machismo’ amiga, mas toda uma tradição milenar de como se criar meninos… abraços

  8. Olá Titio,

    Muito me foi recomendado esse post, alias muito bem recomendado.

    Divino, descobri neste momento, que preciso chorar, simplesmente por chorar….Há quanto tempo…

    Bjs

  9. Buáááá… mas quem recomendou tanto assim??
    beijos

  10. Foi a sua leitora assídua, Ana.

    Estava sem tempo esses dias, corrido no serviço, finais de semana então..faculdade…faculdade. Mas resolvi dar um tempo na minha frenética vida paulistana e passar por aqui. E como sempre… VALEU A PENA.

    Bjs

  11. “Eu não vou parar de te olhar…” Qual o sensível coração que resiste ao encanto dessa canção? E quem não tem uma história pra contar? Ou pra começar? os acordes que afinam minh’alma saem em doce melodia… transbordam meu olhar, e regam meus sonhos…

    Muito lindo!

    Abraços!

  12. Senhor Pr. Luiz Leite

    Não sou um leitor assíduo do seu blog mas há algum tempo uma mulher muito especial me recomendou a leitura. Pronto! Acabei de me tornar um leitor assiduo, adorei o blog.
    Não esqueça que para completar o ceticismo do machismo existem mais alguns como: “homem não sente dor” e “não tem medo”. Tenho certeza que o senhor tem algumas experiencias com os dois ultimos citados também.

    Com amor, em Cristo,

    Abnadabe Cássio

  13. que bom Abnadabe! fique a vontade… abracao.

  14. ameei pastor…
    ja tinha ouvido falar do blog,mas nunca parei pra entrar VALEU A PENA
    nao quero mais viver na mesmice vou fazer diferente
    kk..Estou com muita sede de Deus…
    A Paz do Senhor

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s