Uma revolução estrutural

Uma Revolução Estrutural

Por Luiz Leite (Do livro A Inteligência do Evangelho de Luiz Leite)

Não importa o quanto estudamos, o que lemos e ouvimos da experiência de outros homens.  Podemos ser fortemente impactados pelo testemunho de alguém; podemos ser levados às lagrimas, e, até, a tomar decisões sérias, mas ainda assim, é necessário que vivamos nossa experiência pessoal com Deus.

O profeta Isaías foi uma daquelas muitas pessoas que se relacionaram com Deus na carona da experiência de outros, cumprindo os requisitos da religião do seu tempo. Seguiu o protocolo, observou as regras da sua fé, norteou-se pelos conceitos que lhe haviam passado e criou para si um conceito desajeitado a respeito do Deus de Israel, até o dia que teve uma experiência que mudou para sempre sua vida!

Um encontro com Deus, pelos relatos bíblicos, nem sempre será uma experiência festiva; ver o Senhor e ouvir sua voz pode ser uma experiência aterrorizante! Depois de ter tido uma visão da glória de Deus, Isaías exclamou apavorado: “Ai de mim! pois estou perdido; porque sou homem de lábios impuros, e habito no meio dum povo de impuros lábios; e os meus olhos viram o rei, o Senhor dos exércitos!” (Is 6:5)

Ninguém sai de uma experiência, como a que teve Isaías, sem experimentar um abalo sísmico de proporções gigantescas em sua alma. O que aconteceu com Isaías foi uma revolução estrutural que alterou dramaticamente o curso de sua vida. Creio que é exatamente disso que todos nós necessitamos, uma revolução estrutural que atinja o âmago da nossa prepotência, da nossa auto-suficiência; um abalo que arrase a soberba, o orgulho, aquela altivez própria dos seres caídos.  Digo isso, porque todas essas adjetivações são de herança maligna, razão porque precisam ser erradicadas de nossa alma.

Só uma experiência assim, dramática, fará com que nossa miséria fique patente aos nossos próprios olhos, a ponto de julgarmo-nos “perdidos”. Só então estaremos prontos para a reforma de que tanto necessitamos e que tão constantemente rejeitamos. A experiência de Isaías foi tão profunda que ele mesmo reconheceu seu estado de completa perdição. Ele disse: “Ai de mim! Estou perdido!” Foi ferido de morte em sua presunção como homem letrado que era. As bases que davam sustentação à sua vida foram movidas; sentiu faltar-lhe o chão. Haviam caído as colunas. Concluiu desesperado: “Estou perdido!”.

As revoluções estruturais acabam conosco! Soa estranho, não é? Mas é exatamente disso que precisamos. Por incrível que pareça, essas experiências nos tornam diferentes, transformados, e para melhor. Somos, na maioria das vezes, a favor de mudanças, desde que elas não acarretem tanto transtorno. Ninguém em bom juízo quer se vir transtornado, não é mesmo? Simpatizamos mais com mudanças conjunturais, ou seja, medidas puramente cosméticas, superficiais, que não ocasionem tanta dor. Falhamos em reconhecer e admitir que, em tantos casos, a situação demanda medidas cirúrgicas. Contentamo-nos e nos acomodamos com a situação em que muitas vezes nos encontramos, pois, afinal, pensamos, a vida deve seguir, e , cá entre nós, ninguém é de ferro!

É assim que vamos abrindo concessões. Concessões são aquelas formas, aqueles “jeitinhos” que damos para contornar situações complexas; geralmente servem para poupar nossa auto-imagem, manter as aparências, preservar relacionamentos e assim por diante. Somos mestres no assunto. Muitas vezes nos sentimos até mesmo orgulhosos quando, através desse tipo de habilidade, conseguimos mascarar uma determinada situação. Alguns têm mais habilidade, outros menos, mas, fato é que todos possuem algo de inato nesse campo.

Essas concessões são verdadeiros agentes de auto-engano. Tanto para o indivíduo, como para o grupo. É bem verdade que temos que ter mecanismos para negociar com determinadas situações; não podemos esperar lograr sucesso tratando as pessoas “a ferro e fogo”. Entretanto, se nos tornarmos muito diplomáticos, acabaremos evitando o confronto e acovardando-nos sempre. Muito embora tal atitude tenha aparência de inteligência, os resultados a longo prazo não serão nem um pouco confiáveis. O que se faz nesse tipo de negociação, na verdade, é arrolar a dívida, parcelando-a em suaves prestações… Não deveríamos julgar como sábia tal estratégia!

Anúncios

17 comentários sobre “Uma revolução estrutural

  1. Luiz, amado! Que texto.
    Estou numa fase de colocar sobre os livros da Bpiblia no meus blogs. Digo meus blogs porque no ano passado meus blogs iam sendo bloqueados e eu abria outro, pois sou pata em computador.

    bem, tenho 9 blogs. Estranho, né? Eu também acho. Mas são todos de Jesus. Eles já me levaram a muitas situações.

    Que bom foi encontrar seu blog.

    Penso que quando estivermos no céu com Jesus lindão, vamos encontrar muita gente que não encontramos aqui e que deveríamos ter encontrado mas que Jesus guardou para um tempo precioso.

    Viu um anjo ali, Luiz? iii será que já estou no céu??? rsrsrs

    JESUS É LINDO! MARAVLHOSO! MUITO BONITO! MUITO FORMOSO! É REI GRANDÃO!

    Tenho lido seus textos!Ótimos! Aprendo muito.

    Que o Senhor Jesus encha você dEle mesmo.

    Queria ler seu livro, como faço para obtê-lo?

  2. ola rosangela!
    que bom que vc tem sido edificada pelos meus textos… fico verdadeiramente feliz por isso…
    que o SENHOR Jesus te abençoe grandemente tambem.
    se vc mora em BH pode encontrar meus livros na LEITURA, SEARA E MUNDO EVANGELICO…
    onde vc mora afinal?
    abraços

  3. Oi Pr. Luiz

    Graça e paz!

    Pois é! A visão de Isaías mudou radicalmente a vida do profeta e ele nunca mais pode ser o mesmo. Essa visão ´de um Deus que é soberano e governa sobre tudo; que é Santo e exige santidade é tão necessária nos nossos dias como foi naqueles.
    Olhar para Deus nos faz, olhar para nós mesmos e para o próximo.

    Um abraço

    Marcio Amorim

  4. certíssimo amorim…. abração.

  5. Moro em Paraty.

  6. Voun tentar comprar pela Naós. Queria colocar seu video no meu blog. Muito bom.

  7. E verdade! Quando olhamos para Deus, temos a visao de quem realmente somos e de QUANTO necessitamos de Sua misericordia!!!!!!!!!!! Sem Seu amor estariamos completamente perdidos. Como carecemos de Seu toque! E depois que somos tocados, somos transformados e passamos a olhar nao apenas para nos; mas para os que estao ao nosso redor tambem carentes e necessitados, e nos tornamos portadores das Boas Novas de amor e esperanca.
    Nao existe “revolucao estrutural” sem olharmos para Ele, porque a unica maneira de sermos transformados e atraves de Sua vida, e Sua vida nos faz servir a outros expressando Sua misericordia.
    AMEI seu texto! (Once again!!!)

  8. i appreciated your comment… once again.

  9. Ahhhhhhhhhh………
    Como sonho com o meu encontro, com a minha experiência…
    Qro ser chamado, qro ver o Rei, qro ser abalado, qro ser transformado, qro ser um guerreiro, qro acrescentar, somar, crescer, VIVER…
    Qro olhar para o meu verdadeiro Espelho e ver toda a miseria e falhas da minha alma e consequentemente morrer para mim e para o mundo…
    Como qro ter a mente de Cristo e transpor esta mentalidade “furada” e pequena da vida. Ele pode me fazer muito mais do que um “batedor de cartão”, um sobrevivente do dia-a-dia, um buscador de meras vaidades humanas, um conivente com as situações e realidade do mundo…
    Como eu sonho… Como eu sonho…

    Senhor… ME CHAME…

  10. com o coração disposto nessa direção vc já está na metade do caminho… Ele possivelmente ja te chamou e talvez vc nao tenha entendido direito, como Samuel… aguçe os sentidos.

  11. quero participar daquela feira do livro aí… quando será a próxima?

  12. Paz Tio…

    Também acho… Mas sinceramente ainda não o ouvi… Sei que as promessas Dele irão se cumprir na minha vida. O problema é quando, no qual nunca podemos esperar.

    De 12 a 22 de Agosto no Anhembi… Bienal do Livro…
    Paz…

  13. Pr. Luiz, voce quer ir a Bienal ou expor seu trabalho???????

  14. oi susy meu comentario sobre a feira do livro refere-se aquela feira charmosa que acontece em Parati, no Rio… Expor na Bienal em Sao Paulo seria um sonho! abraços

  15. Ahhhhh ok! De Parati so conheco os barcos, a estrada velha e os charmosos restaurantes!!!!! Que saudades!!!! Nao sabia de feira do livro por la nao…
    E vdd! Um mega sonho! Quem sabe isso nao esta mais perto do que voce imagina?!?!?!?!?!?! Abracos de volta!

  16. Pingback: O que dizem os leitores… « um dedo de prosa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s