Senatus Populusque Romanus

800px-Spqrstone

S.P.Q.R

Por Luiz Leite

A sigla emblemática S.P.Q.R (Senatus Populusque Romanus)  é quase onipresente na história do império romano. Expressa a proeminência fundamental do Senado como uma de suas mais importantes  instituições políticas. Remonta os anos iniciais de um pequeno reino na península itálica que mais tarde se transformaria num dos mais  imponentes impérios de que se tem notícia.

Rômulo, primeiro rei do reino que alcançaria o status de imperium teria sido o fundador do senado. Antes mesmo da fundação de Roma (753 BC) já funcionava na terras da Itália  uma espécie de suprema corte, conselho tribal composto por anciãos.  Rômulo adotou a idéia do conselho tribal de ançiãos, oficializando a famosa instituição. O termo “senado” procede do latim “Senex”, significando “homem velho”. Senado significa, portanto, literalmente, “conselho de homens velhos”.

Este Conselho de “homens velhos” era uma instância da mais alta respeitabilidade pois ali supostamente prevalecia a voz da sabedoria e da razão. Os povos podiam entregar o leme da nação ao Senatus. Homens íntegros zelavam pelos rumos do interesse comum obedecendo a um código de honra estrito.

Hoje, o que se vê no Senado brasileiro é absolutamente constrangedor;  Causa profunda indignação saber que se assentam nos lugares de tão grande importância, homens cuja credibilidade está comprovadamente comprometida por mil conchavos. As nódoas em suas fichas falam por si.

A casa que deveria representar o bastião da ética na política tornou-se um covil de salteadores. O Senado brasileiro, tal como hoje se apresenta, guardadas talvez algumas raras exceções, não faz jus ao nome. O “Conselho de homens velhos”, tradução do termo Senado, sugerindo a confiabilidade dos anciãos, poderia ser melhor traduzido, no nosso caso, por “Conselho de homens velhacos”.

Morre de vergonha o cidadão brasileiro que, com alguma consciência política, (milhões não a tem!) tem que engolir como senadores da república em seu país, um elenco que mais se parece com os personagens daquele conto das arábias, “Ali Babá e os quarenta ladrões”! Se as articulações desavergonhadas que ocorrem ali fossem descobertas em outros países, os tais senadores já há muito teriam saído da cena, abrindo mão de seus mandatos, ou até mesmo, como já visto em algumas ocasiões, cometido suicídio!

Brasil, mostra sua cara! Apenas a cara pintada do protesto, entretanto, não resolve. Em algum lugar, no meio da noite, precisamos também de olhos molhados!

 




Anúncios

5 comentários sobre “Senatus Populusque Romanus

  1. Excelente ponto de vista. E para maior contraste da situação vimos neste fim-de-semana os funerais do maior senador americano de todos os tempos, morreu Teddy Kennedy, o irmão dos assassinados Presidente John F. Kennedy e do (então candidato favorito à presidência) Sen. Robert Kennedy. Toda a nação americana chorou a morte deste grande senador. Será que se o senador Sarney ou o senador Collor, só para ficar nos ex-presidentes que lá se encontram morressem haveria sequer alguém chorando? Ah sim, não vale citar os seus apaniguados e suas viúvas…
    O momento pede reflexão e vai aqui uma sugestão: Não vote em nenhum senador que já está lá para as próximas eleições. Vamos limpar o Senado Brasileiro! Renovação Total! Sem atitude não tem mudança.

  2. Excelente comentário Jean!!!

  3. Pingback: O que andam dizendo do Dedo de Prosa « um dedo de prosa

  4. Pingback: Cinco Artigos Escolhidos « um dedo de prosa

  5. Muito bom!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s