Teologizando II

O reino e o império

Por Luiz C Leite

Existe uma curiosa e comumente pouco notada diferença entre as palavras “reino” e “império”. Geralmente as pessoas as confundem, julgando-as palavras sinônimas, quando são palavras que designam formas distintas de poder.

O termo “reino” sempre conduz a idéia de um poder legitimamente constituído, ao passo que o termo “império” traz consigo a conotação de um governo estabelecido pela força.

 O reino, assim, assenta-se sobre bases legais, enquanto o império se impõe por meios freqüentemente escusos. O reino tem os seus domínios históricos reconhecidos, o império tem os seus domínios sempre questionados, por serem produto da violência, da opressão, da invasão, da pilhagem…

Algumas versões da Bíblia para o português nos trouxeram a palavra latina “império” para traduzir o vocábulo grego “Exousia.” Em Colossenses 1:13 se lê: “Ele nos libertou do império (Exousia) das trevas e nos transportou para o reino (Basileia) do Filho do seu amor.”

O termo “Exousia” em nenhum momento será empregado no Novo Testamento para referir-se ao reino de Deus. O termo “Basiléia” por sua vez jamais será usado para referir-se ao poder das trevas. Ambos são termos específicos que têm acepções específicas e em nenhum momento serão tratados como termos sinônimos nas escrituras. Não são intercambiáveis.

A tradução do termo “Exousia” (Gr.) para império, do Latim “Impérium”, não é a mais precisa, mas traduz melhor a idéia dos dois diferentes domínios.

As versões bíblicas para a língua inglesa, alemã e holandesa, geralmente evitam a palavra “Empire” “império” (das trevas) e utilizam-se do termo “Poder” ou “Domínio” (das trevas), quando traduzem o termo “Exousia”, talvez por buscarem ser mais exatos e fiéis aos manuscritos antigos, mas nem por essa razão pode-se dizer que uso do termo “Império” esteja incorreto.

O termo grego “Exousia” literalmente significa “Autoridade”, “Poder, humano ou espiritual. Autoridade, ou Poder, como desejarem os puristas, são conceitos abstratos. O termo “Império” nos oferece uma compreensão mais tangível de “Exousia”, revestindo-o de forma, de representatividade jurídica.

 O reino (Gr. Basileia) da luz, e o império (Gr. Exousia) das trevas são portanto os poderes espirituais que exercem influência sobre o mundo dos homens, quer eles queiram, quer não, quer eles creiam, quer deixem de crer.

Como já mencionado a Escritura diz que: “Ele (O Senhor Deus) nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor…” (Col 1:13)

Na epístola geral de Pedro, a Escritura registra que Ele nos “chamou das trevas para a sua maravilhosa luz…” (I Pe 2:9)

Fica claro através de textos como esses que não há uma penumbra entre esses dois mundos. Não é possível, como propõe o agnosticismo, ficar alheio à questão espiritual. Ou somos cidadãos do Reino ou vassalos do Império. Onde voce se situa?

Extraído do “Livro dos Princípios” de Luiz C Leite – Direitos Reservados

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s